Destaque

Tudo o que você precisa saber sobre transmissão online

Tudo o que você precisa saber sobre transmissão online

As transmissões online já vinham ganhando popularidade ao longo dos anos, mas a pandemia e o isolamento social aceleraram o processo. Afinal, a única alternativa para não cancelar ou adiar eventos que teriam grandes aglomerações foi: adaptá-los para o formato online.

Para muitos, era tudo novidade – mas por pouco tempo. Após mais de 4 meses desde que essas restrições começaram, podemos dizer que o olhar do público está mais crítico.

Atualmente existem boas práticas a serem seguidas para tornar a experiência mais agradável para quem assiste a sua live. Isso porque o que nos primeiros dias poderia passar despercebido, hoje pode ser um real incômodo. Não queremos perder a audiência por conta de instabilidades na conexão, não é mesmo?

As vantagens de transmitir online são inúmeras, desde a possibilidade de atingir mais pessoas, encurtar distâncias até a versatilidade de realizar a transmissão de qualquer lugar.

Pensando nisso, reunimos neste artigo uma série de tópicos relevantes para considerar sempre que você decidir realizar uma transmissão online – seja para 10 ou 1000 pessoas.

Falaremos sobre como definir a melhor estrutura de acordo com o conteúdo que será transmitido e os objetivos do evento, as vantagens e desvantagens das principais plataformas e ferramentas para interatividade com o público.

Estrutura adequada para o formato de conteúdo

Evento online realizado na estrutura LIVE XP

Evento online realizado na estrutura LIVE XP, parceira da Insperiência.

Para escolher a estrutura ideal, é preciso definir qual será a dinâmica do evento/transmissão. Qual foi o formato pensado para o conteúdo que será apresentado?

A palestra de um só speaker, por exemplo, tem menos implicações do que uma entrevista ou evento com diversos convidados e participações especiais.

Um treinamento online requer mais interação com o público (por vídeo, chat ou através de alguma ferramenta específica) do que uma aula expositiva.

E assim por diante.

Ainda que a opção mais indicada sempre seja um estúdio especializado para transmissões online, há casos em que fazer a transmissão de casa pode não apresentar tantos riscos. Em geral, quando a apresentação é mais simples, com menos tempo de duração e não exige muitos recursos para ir ao ar. Desde que haja uma boa velocidade de internet, câmera e microfone adequados, é claro.

Por outro lado, a participação de muitos convidados fica comprometida quando cada um participa da sua casa. A qualidade da internet, som e imagem variam. Nesses casos, reunir os participantes (com segurança) em um estúdio é a opção mais segura e vantajosa.

Se não puder reunir todos no estúdio, verifique a possibilidade de alguns participantes enviarem vídeos gravados. Além de dar um dinamismo ao evento, reduz eventuais dificuldades.

Lembre-se sempre que a transmissão em casa está sujeita a diversos imprevistos difíceis de lidar ao vivo. Para grandes eventos (tanto no número de convidados quanto de espectadores), investir em estrutura adequada é essencial. A estrutura de um estúdio permite controlar os cenários, iluminação, acústica, velocidade de internet e outros aspectos técnicos da transmissão. 

Objetivos da transmissão online

Os objetivos da sua transmissão também devem ser considerados na hora de escolher a estrutura.

Se a ideia da live é ser mais informal e intimista, como um bate papo com seguidores nas redes sociais do seu perfil pessoal, o improviso diante de algum problema será visto de forma natural. Contudo, lives com objetivos profissionais exigem muito mais preparo. Afinal, não queremos que a empresa seja vista pelo público e/ou pelos convidados da transmissão como descuidada.

Por falar em live nas redes sociais, queremos destacar que elas podem (e devem) ser utilizadas pelas empresas. É uma forma de gerar uma conexão mais próxima e humana com clientes e pessoas interessadas no seu produto ou serviço. O que estamos dizendo aqui é que alguns cuidados devem ser tomados para evitar ao máximo as instabilidades na conexão, imagem e som da transmissão. Cuidados como testes prévios e preparo em casos de problemas técnicos.

Como analisaremos mais adiante, as redes sociais tendem a funcionar melhor quando o número de apresentadores e o tempo de transmissão são reduzidos. Para eventos longos e com apresentações diversas existem opções mais estáveis e apropriadas.

Tipos de plataformas para transmissão online

Chegou o momento de escolher qual plataforma utilizar.

O sentimento é de que durante a pandemia surgiram muitas ferramentas e possibilidades que nunca havíamos imaginado. O importante é entender as características de cada uma, pontos fortes e fracos e investir na que melhor atenda à sua demanda.

Para te ajudar na escolha, listamos algumas das principais plataformas e falamos um pouco sobre cada uma.

YouTube

Produtora Notus

Produtora Notus preparada para live no YouTube da Insperiência.

Por ser uma ferramenta de uso popular, a maioria das pessoas sabe mexer na plataforma e aprende com facilidade. Além disso, quando a transmissão é aberta ao público e o objetivo é atrair o maior número de interessados, a plataforma ajuda muito, já que tem a distribuição interna e pode atrair mesmo quem não conhece sua empresa ou se inscreveu previamente.

Pontos positivos: fácil utilização, acesso simplificado (sem login e de uso popular), gratuita e alcance maior de público.

Pontos negativos: para fazer transmissões mais profissionais (com mais de uma pessoa, informações na tela e recursos adicionais) é preciso utilizar outros programas para a captação de áudio e vídeo e enviar esses sinais para o YouTube, o que pode não ser tão simples para quem não tem familiaridade com esse meio.

Outro ponto de atenção diz respeito aos direitos autorais de músicas. O YouTube pode derrubar sua transmissão se identificar que você está fazendo uso indevido das músicas. Então, caso queira dar algum exemplo, passar algum vídeo ou utilizar uma trilha sonora, é necessário ficar atento.

Lembre-se: se o link da transmissão travar ou se ela for derrubada por direitos autorais, você precisará iniciar uma nova transmissão e gerar um novo link. Além do transtorno, isso poderá impactar diretamente no trabalho de divulgação já realizado.

Zoom

Conhecida pelo sucesso nas videochamadas, a plataforma também é utilizada para transmissões online. Muito comum no caso de transmissões fechadas (para o público interno de uma empresa ou evento online com ingressos pagos, por exemplo), já que o anfitrião da reunião precisa autorizar a entrada dos participantes.

Pontos positivos: é possível reunir até 100 pessoas na versão gratuita e chega até 1.000 na versão paga. Há opções específicas para transmissão online, como deixar em foco o palestrante e fazer o upload de um plano de fundo virtual (adeus, quarto bagunçado ao fundo!). Além disso, por ser uma sala fechada, conta com a segurança da plataforma Zoom.

Pontos negativos: a versão gratuita tem limite de duração de 40 minutos, o que para a maioria dos eventos não é o suficiente. Logo, para utilizar essa plataforma de forma consistente é preciso pagar uma mensalidade. Consideramos que a plataforma é muito limitada na versão gratuita.

Plataformas pagas específicas para transmissões online

Existem muitas plataformas especializadas em transmissão online. Algumas oferecem o software; outras, um pacote com serviços de suporte e internet. Algumas contam com ferramentas próprias e certas limitações; outras são mais flexíveis.

Pontos positivos: você tem o suporte de especialistas no assunto e, dependendo da empresa que escolher, tem várias possibilidades de customização e recursos adicionais.

Pontos negativos: muitas dessas empresas têm um custo muito elevado e podem encarecer demais o orçamento de uma transmissão online.

Redes sociais (LinkedIn, Facebook, Instagram)

Onde tudo começou, não é mesmo? As redes sociais foram as responsáveis por popularizar as lives. São gratuitas, têm um alcance muito bom (caso você já tenha um bom número de seguidores) e fáceis de fazer.

Pontos positivos: gratuitas, podem ser feitas de qualquer lugar e a partir de qualquer dispositivo e não apresentam grandes complicações.

Pontos negativos: você fica a mercê da plataforma, isto é, se ela estará funcionando no momento da live e se o tráfego não estará muito alto (o tráfego elevado causa instabilidades). Não há muito controle sobre áudio e imagem, e poucas possibilidades de customização. Uma simples oscilação de internet pode fazer com que ela trave e só retorne à qualidade padrão depois de um tempo. Há limite de 2 participantes ao mesmo tempo.

Além disso, falando especificamente do Instagram, os comentários cobrem o rosto da pessoa convidada, o que interfere na experiência de quem assiste. Outro ponto negativo é o formato vertical (que não é o padrão de outras plataformas) e dificulta disponibilizar com qualidade o conteúdo da live no YouTube ou intranet, por exemplo. 

Interatividade

Bruno Romano em live realizada no estúdio da Produtora Notus, na Insperiência.

Bruno Romano em live realizada no estúdio da Produtora Notus, na Insperiência.

Nas redes sociais da Insperiência, publicamos uma série de posts sobre como fazer um evento online de sucesso. Os posts são inspirados no artigo: Como fazer eventos online interativos para a sua empresa. Vale conferir!

Em qualquer tipo de transmissão online o elemento primordial é: seja dinâmico! Prender a atenção das pessoas é um desafio. Por isso, interatividade é um item que não pode ser deixado de lado.

Chat

A maioria das plataformas disponibiliza um chat ao vivo.  Recomendamos sempre deixá-lo ativo, pois é o ponto de contato entre os participantes (o que aconteceria nos corredores de um evento presencial, por exemplo) e a forma de interagir com o conteúdo. Tenha um mediador para responder e engajar o público, além de evitar qualquer comentário desagradável.

Mas você pode ir muito além que o simples chat, ok?

Materiais

Você está realizando um evento online em que o palestrante cita um PDF, um exercício ou está realizando um treinamento ou workshop? Você precisa de um ambiente que possibilite o acesso rápido e fácil a esses materiais em tempo real.

Comunicação palestrante x participante

Infelizmente, o chat não é o recurso ideal para esse tipo de comunicação. É muito difícil para o palestrante se concentrar na apresentação e ainda ter que acompanhar uma barra de comentários que atualiza o tempo todo.

Por isso, aplicativos de interação ao vivo (Edupulses, para citar um exemplo) facilitam a participação do público e tornam a experiência mais dinâmica. Eles ainda podem servir como um termômetro e direcionar o rumo do evento. Já fizemos alguns testes em que, com base nas respostas do público, o palestrante seguiu por um caminho diferente no conteúdo. Feedback em tempo real!

Use as ferramentas à disposição

As ferramentas existem e devem ser usadas! Temos o QR Code para envio de perguntas por um aplicativo (que podem aparecer na tela da transmissão), hashtags no Instagram, desafios com fotos do momento (uma forma diferente de promover o evento), perguntas enviadas para as redes sociais da sua empresa… Use a criatividade! Todos esses recursos envolvem os participantes e fazem com que eles tomem atitudes em relação à sua transmissão: não só ficar sentado de braços cruzados, sem responder ao conteúdo apresentado.

De forma geral, essas são as nossas dicas para você que deseja utilizar a transmissão online como parte da estratégia da sua empresa. Esperamos que o conteúdo tenha sido útil!

Você sabia que a Insperiência conta com estúdio para realização de eventos de pequeno e grande porte e profissionais capacitados e experientes em transmissão online? Se quiser uma ajuda profissional para tirar o seu projeto do papel, é só falar conosco! Clique aqui e conheça as nossas soluções online!

 

Infográfico: Tudo o que você precisa saber sobre transmissão online

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *