Destaque

Como ser palestrante: o guia completo para começar a carreira

Como ser palestrante: o guia completo para começar a carreira

Antes mesmo de começarmos: se você chegou até aqui, parabéns! Muitos profissionais no mercado trilham caminhos de sucesso e constroem carreiras verdadeiramente inspiradoras – mas quantos deles realmente buscam compartilhar suas histórias e seus aprendizados? Ficamos felizes pelo seu interesse em descobrir como ser palestrante.

Aliás, não quero fazer suposições, mas se você está aqui, imagino que:

  1. tenha o sonho de ser um palestrante (inclusive, talvez já seja); ou
  2. curiosidade sobre a vida dessas pessoas que se dedicam às palestras.

Em ambos os casos, seja muito bem-vindo(a)!

Com base na metodologia desenvolvida ao longo de 13 anos para a construção de produtos de grandes speakers, como Jakson Follmann, Ruth Manus, Denílson Show e muitos outros, vamos compartilhar os principais passos para profissionais que estão dando os primeiros passos na carreira de palestrante. Confira!

Para acessar a série completa de conteúdos gratuitos sobre a carreira de palestrante, clique aqui.

Todo mundo tem um propósito: qual é o seu?

Você já deve ter percebido que o termo “propósito” está cada vez mais popular entre os mais novos. O trabalho, que para seus avós e bisavós – muitas vezes – não passava de uma obrigação, tem sido frequentemente relacionado à felicidade.

Isso porque as novas gerações querem ser felizes inclusive no trabalho, não apenas em suas vidas privadas, como antigamente.

É importante ressaltar que todos temos um propósito. Talvez você não saiba defini-lo com clareza, mas ele certamente guia suas ações (ou deveria, pelo menos).

Muito mais do que um simples objetivo, propósito diz respeito ao que te faz feliz e à motivação que te faz sair da sua zona de conforto e persistir. Propósito é o grande porquê que permeia o que você faz e onde você planeja chegar.

Por exemplo, reconhecemos que existe em você um interesse por palestras. Certo. Mas que tal pensar a fundo nas razões desta vontade/curiosidade? De onde vem e, principalmente, até onde esse interesse pretende te levar?

Este é o momento de olhar internamente, recapitular sua história de vida (pessoal e profissional) e refletir sobre o que você deseja transmitir a uma plateia.

Identifique a sua entrega de valor

Sua entrega de valor pode ser qualitativa ou quantitativa. Ao longo da sua jornada pessoal e profissional, quais foram as suas principais contribuições para as pessoas que encontrou e/ou empresas pelas quais passou?

Ter resultados expressivos e comprovados é um bom indicativo que auxilia na escolha de temas para seus produtos. Afinal, partimos do seguinte princípio: para seguir na carreira de palestrante, você deve ser autoridade em algum assunto.

Perceba quais tipos de reconhecimento já obteve por suas entregas e quais são os seus diferenciais como indivíduo e profissional. O que só você pode dividir com outras pessoas ou qual é o tipo de conteúdo que é especialista?

Para exemplificar, vamos supor que você é uma executiva com ampla experiência de mercado e diversos cases de sucesso nas empresas que já trabalhou. É uma profissional reconhecida e respeitada em sua área de atuação, principalmente pela habilidade em liderar equipes de alta performance.

Neste caso, sua liderança gera valor para pessoas e empresas e você certamente tem muito a ensinar sobre o assunto. Além disso, a experiência de anos de atuação no cargo permite que seu conteúdo vá muito além da teoria, trazendo exemplos práticos, erros e acertos e muita familiaridade com o assunto.

Entretanto, sua entrega de valor também pode estar inserida em outros contextos. Digamos que sua história de vida tenha sido marcada por algum acontecimento surpreendente, um desafio fora do comum que foi superado e pode trazer ensinamentos valiosos. Diante disso, sua entrega de valor pode ser gerar reflexão e provocar mudanças na vida de outras pessoas.

Mais uma vez, trata-se de um exercício individual que exige introspecção – mas que pode ser trabalhado com a ajuda de outras pessoas e com uma análise mais externa.

Entenda como transformar em produtos

Agora que você já entendeu quais são suas competências e experiências mais valiosas, que distinguem sua carreira e sua trajetória das demais e são os maiores destaques da sua história pessoal e profissional, vamos pensar no mercado para speakers.

Como ressaltamos neste material sobre os possíveis produtos para palestrante, existe uma variedade de formatos que podemos explorar. Ainda que o produto mais tradicional seja a palestra, o conteúdo que você deseja compartilhar pode ser mais adequado para um curso ou treinamento, por exemplo.

Para definir o tipo de produto que você vai desenvolver não basta conhecer as possibilidades: é preciso conhecer o mercado.

Você sabe quais são as principais dores e dificuldades do público que deseja atingir? Sabe onde seu público está e como ele costuma consumir conteúdo? Consegue visualizar de que forma seu conteúdo pode se apresentar como uma solução para pessoas ou empresas?

Além disso, o processo de construção de um produto será muito mais assertivo e promissor se antes você considerar o tipo de impacto que o seu conteúdo é capaz de gerar.

Conteúdos técnicos ou teóricos abrangentes podem demandar mais tempo de duração do que uma palestra de uma hora, por exemplo – mas não precisam ser ministrados individualmente. Pensando nisso, qual será o nível de contato que você terá com o público?

Uma vez definidos temas e formatos, é hora de fazer uma curadoria do conteúdo que fará parte do produto. Para isso, reveja sua história de vida pessoal e profissional. Será de grande ajuda!

Indo além do PPT

Temos uma má notícia para quem pensa que agora é só montar uma apresentação no PowerPoint.  A sua história de vida pode ser extraordinária – e estamos ansiosos para conhecê-la! –, mas é preciso convencer o público de que vale a pena te ouvir.

Estamos falando de roteiro, storytelling, material de apoio (olha aí seu PPT), interação com o público, entonação e outros “detalhes” que fazem toda a diferença na sua apresentação!

Roteiro e storytelling

Histórias lineares podem ser maçantes. Em outras palavras, traçar uma linha do tempo e segui-la à risca pode não ser a melhor abordagem para a sua palestra.

Em conversas informais, por exemplo, citamos acontecimentos passados quando é pertinente e existe uma ligação clara entre os dois pontos, certo? Além disso, em filmes e séries, estamos todos acostumados com os rápidos (e eficientes) “flashbacks”, que nos ajudam a lembrar ou entender algum acontecimento do passado das personagens. Portanto, considere esses recursos na hora de contar a sua história.

Aliás, o storytelling nada mais é do que a arte de contar, desenvolver e adaptar histórias por meio de elementos específicos – personagem, ambiente, conflito e uma mensagem – em eventos com começo, meio e fim, para transmitir uma mensagem de forma marcante ao gerar uma conexão emocional com o público.

Ou seja, a mensagem é transmitida por meio de uma história que gera identificação. Ainda que a sua carreira tenha sido incrível, sua palestra não deve ser apenas sobre você – pelo contrário, deve ser sobre o público que assiste e os sentimentos e aprendizados que você deseja compartilhar.

Em sua palestra, você deve ser o personagem que enfrenta desafios (conflitos) e emociona o público por meio da jornada percorrida até um desfecho impactante. Por outro lado, o público se enxerga no papel do protagonista.

Resumindo: garanta que a sua apresentação tenha sempre um início interessante, que desperte o interesse; mantenha a atenção do público ao longo de uma jornada com conflitos; e, finalmente, dê um “fim matador” para a sua palestra, mostrando as lições aprendidas.

Material de apoio

O material de apoio é excelente para ambos os lados. Além de te ajudar a relembrar os tópicos importantes da sua palestra, pode ser um excelente recurso para o público.

Seja com palavras-chave do conteúdo ou representação gráfica dos conceitos, a projeção durante a palestra pode auxiliar na fixação dos assuntos abordados. Além disso, é importante explorar as diversas possibilidades audiovisuais: incluir vídeos, cases, depoimentos, imagens ou até músicas, em alguns casos.

Desta forma, sua apresentação fica mais visual e torna a atenção plena do público ainda mais necessária, uma vez que não basta só te ouvir, é preciso acompanhar os slides também.

Mas lembre-se: seu PPT deve ser um material de apoio, um elemento adicional da sua apresentação. Ficar lendo os slides pode tornar a sua fala cansativa para quem está na plateia. Quando for preciso ler algum dado ou citação importante, inclua comentários pessoais e discorra sobre o que foi lido.

Interação com o público

Sua palestra não deve ser apenas sobre você. Interaja!

Inclua no seu roteiro perguntas para a plateia. Caso o público seja muito numeroso, peça que levantem a mão; no entanto, se o público estiver em menor número, deixe que façam comentários, tragam relatos em comum. Assim, você desperta novamente a atenção do público e quebra a possível monotonia de um monólogo arrastado.  

Se possível, reserve uns minutos para perguntas e respostas após a palestra. Também é válido incluir dinâmicas e exercícios, se for o caso.

Além da interação mais direta, você também pode utilizar gestos para interagir com o público presente. Faça contato visual com a plateia, sorria, dê risada. Enfim, não tenha medo de mostrar o seu lado humano e “gente como a gente”. É mais uma forma de criar conexão com quem te assiste.

Entonação e projeção de voz

Quem já tem o hábito de falar em público sabe a importância da voz nas apresentações.

Uma voz firme e convincente pode ser uma grande aliada. Ela é capaz de transmitir confiança, responsabilidade e demonstra segurança no tema debatido. Se a sua voz vacila em um momento importante, a sua credibilidade pode ser posta em cheque.

Nossa dica é sempre preparar o conteúdo com antecedência, reservando tempo para ensaiar a apresentação. A preparação prévia transmite segurança e convicção na fala, além de permitir uma maior consciência vocal.

Também é importante ter bons hábitos de sono, nutrição e hidratação, principalmente quando precisar usar a voz de forma intensa e por tempo prolongado.

Domínio sobre as técnicas de respiração é outro elemento essencial para a projeção da voz. Afinal, a produção da voz depende – basicamente – da respiração. 

Para quem está dando os primeiros passos como palestrante, vale a pena pesquisar e investir em mentorias e cursos sobre o assunto! Também preparamos uma videoaula exclusiva sobre voz e oratória com Celso Cardoso, basta clicar e conferir!

Fortaleça sua marca pessoal

Como você quer ser lembrado pelo seu público?

Assim como branding é fundamental para qualquer empresa, a gestão da sua marca pessoal deve ser sempre levada em consideração.

Em um mundo cada vez mais digital, seu media kit produzido com todo zelo e carinho pode não sustentar uma rápida pesquisa no Google. Antes de uma contratação, seus potenciais clientes vão querer saber mais sobre você, de que forma você se comporta nas redes sociais e o que a mídia tem a dizer sobre o seu nome.

Aqui, um princípio básico é: coerência. Será que você age e se posiciona de uma forma que demonstre quem você é o que tem a oferecer?

Ah, e não pense que o fato de estar começando agora seja um empecilho para trabalhar na sua marca pessoal. Ou que não deva ser uma prioridade. Quanto antes você estabelecer (e gerir) a sua marca, mais forte ela estará com o passar do tempo.

É importante que seus objetivos enquanto marca estejam conectados com o conteúdo da sua palestra. Sabe o storytelling criado para a palestra? Viva e acredite na história que você conta.

Para ser visto da forma que deseja, um profissional deve criar uma estratégia condizente com as suas expectativas. Estabelecer um padrão de cores, por exemplo, que dialogue com a sua personalidade e fique marcado no imaginário das pessoas.

Por mais simples que pareça, o branding pessoal faz toda a diferença na vida de um palestrante. Afinal, nada pior do que uma pessoa que vende um conceito e vive de forma completamente contraditória – hipocrisia, não é mesmo? Portanto, você será capaz de inspirar muito mais confiança e credibilidade se demonstrar verdadeiramente estar alinhado ao conteúdo da sua palestra.

Compartilhe conteúdo e demonstre autoridade

Muitas pessoas acreditam que só é possível demonstrar autoridade como palestrante tendo passado por diversas empresas, palestrando para multidões.

É claro que depoimentos e feedbacks de empresas contratantes são uma ótima prova social. Afinal, profissionais com mais experiência na área transmitem segurança. No entanto, há outras formas de entregar valor e atrair a atenção para o seu trabalho: conteúdo digital é uma delas.

Seja pela experiência de vida única ou pelo amplo conhecimento teórico, todo palestrante deve dominar o assunto que aborda. Mas, retomando o tópico anterior sobre branding pessoal, se você quer ser reconhecido como o especialista que é, marque presença nas redes sociais falando sobre esse tema. 

Publique conteúdos de alto valor relacionados à sua experiência prática e que são de interesse da sua persona. Seja consistente e amplie seu público digital, de modo que a sua falta de experiência como palestrante poderá ser suprida pelo alto nível de conhecimento e autoridade.

Aposte em formatos diferentes, como vídeo. Pessoas se conectam com pessoas, por isso é importante que seu público esteja familiarizado com você como indivíduo. Além, é claro, de demonstrar suas habilidades em apresentações orais.

Se você ainda tem dificuldade nesse ponto, opte por uma rede social em específico e trabalhe nela, até sentir-se à vontade parar expandir para outras redes.

Estar presente nas redes é uma forma de criar relacionamento com seu público, conhecê-lo melhor, criar uma comunidade em torno da sua marca e, é claro, de encontrar novas oportunidades de negócio.

Não tenha medo de compartilhar conteúdo – ensine, explique, divida, compartilhe. Assim, seu público aprende com você e passa a confiar cada vez mais no seu trabalho, o que só pode ser positivo para a sua carreira.

Aliás, produzir conteúdo para as redes sociais pode ser muito mais simples do que você imagina! Acesse o material Descomplicando a Produção de Conteúdo e saiba como compartilhar seu conhecimento e conquistar uma audiência qualificada.

Como ser palestrante: série de conteúdos gratuitos

Neste artigo, reunimos os principais passos para quem está dando início à carreira de palestrante. Se você tem interesse e quer saber ainda mais sobre o assunto, acesse agora mesmo a série completa: Conteúdos Gratuitos para Palestrantes.

Você terá acesso aos PDFs e vídeos completos com dicas práticas para entender seu propósito, definir os temas e formatos de seus produtos, aprender a falar bem em público e muito mais!

Esperamos que goste! 🙂

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *