Destaque

Geração Z: o que (e por que) devemos conhecer

Geração Z: o que (e por que) devemos conhecer

Muito se fala sobre as diferenças entre as gerações. O pensamento e as visões de mundo mudaram, mas como é possível as gerações anteriores entenderem a famigerada Geração Z, com todos os seus paradoxos? Levantamos alguns dados relevantes para todos que querem (e devem!) conhecê-los um pouco melhor.

1. A Geração Z é maior do que os Millennials

É isso que indica análise feita em 2018 pela empresa Bloomberg com dados da Organização das Nações Unidas (ONU). Segundo a pesquisa, em 2019, a Geração Z representará 32% da população global de 7,7 bilhões, enquanto a “geração do milênio” corresponderá a 31,5%.

2. Até 2020, ela representará 40% dos consumidores

De acordo com dados divulgados pela Fast Company em 2015.

3. Já nasceu em um mundo digital 

A Geração Z passa grande parte do tempo navegando na internet. Segundo pesquisa Business Insider, as três opções que mais aparecem no topo da lista de redes sociais utilizadas são: Instagram, Youtube e Snapchat.

Além disso, de acordo com a Gold Mansachs, aproximadamente metade desses “nativos digitais” navegam por 10 ou mais horas diariamente.

Segundo a Ipsos, são 13 horas de exposição às mídias, se incluirmos os períodos que os jovens passam realizando múltiplas tarefas.

4. Seu melhor amigo é o smartphone

Uma pesquisa realizada pela Motorola em parceria com a Universidade de Harvard indica que 49% dos jovens da Geração Z enxergam o smartphone como seu melhor amigo. Ele é usado para quase tudo na vida: comunicação, socialização, serviços bancários etc.

No Brasil, 56% dos participantes afirmaram entrar em pânico quando pensam ter perdido o celular.

Uma pesquisa divulgada pela Bank My Cell, empresa de revenda de celulares, identificou que 96% dos usuários com até 23 anos costumam levar o celular até mesmo para o banheiro.

5. Por outro lado, uma parcela dela está abandonando as redes

Segundo um relatório da Origin, empresa americana de pesquisas de marketing, psicologia aplicada e ciência de dados, 34% desse jovens dizem que estão abandonando completamente as redes sociais. E 64% decidiram “dar um tempo” de Instagram, Facebook e Snapchat. As redes sociais, de acordo com 41% dos jovens entrevistados, os deixam ansiosos e deprimidos.

6. Identifica facilmente o que é relevante ou não

Por receber um turbilhão de mensagens e e-mails constantemente, a Geração Z consegue distinguir o tipo de conteúdo que é mais interessante, de acordo com relatório da empresa de pesquisa de mercado Nielsen Media.

7. Geração Eu x Geração Nós 

Parte dos jovens da Geração Z busca expressar sua individualidade e dá preferência às marcas que valorizam esse aspecto.

No entanto, outra parcela desses jovens é mais consciente e acredita que o desenvolvimento coletivo é mais essencial que o sucesso individual, são engajados socialmente e defendem os direitos das mulheres, grupos LGBTQ+ e outras minorias. Também se preocupam com a alimentação, veganismo e sustentabilidade.

Essa divisão indica duas formas de pensar diferentes, no mesmo contexto, na mesma geração.

8. Segundos de atenção 

Você tem 8 segundos para capturar a atenção da Geração Z, de acordo com a Forbes. Não é falta de interesse, é simplesmente porque eles cresceram em um mundo repleto de informações e é difícil lidar com tantas possibilidades de conteúdo e tão pouco tempo para consumi-lo.

9. Tem espírito empreendedor 

Um artigo da Harvard Business Review sugeriu que aproximadamente 70% dos jovens da Geração Z mantêm uma ocupação autônoma, como dar aulas de piano, vender coisas etc. Essa capacidade de utilizar habilidades para ganhar dinheiro pode servir de poder para entrar no mercado de trabalho. Mais de 40%, inclusive, esperam trabalhar por conta própria no futuro (de acordo com pesquisa realizada pela Northeastern University).

10. Equilíbrio acima do dinheiro

Trabalhar com o que gosta e equilibrar trabalho e vida pessoal é sinônimo de sucesso profissional para 42% e 39% dos jovens, respectivamente, entrevistados durante o estudo da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Depois aparece ser reconhecido pelo que faz (32%) e, em último lugar, ganhar bem (31%).

11. Prefere comprar em loja física

De acordo com pesquisa realizada pela A. T. Kearney, 81% dos consumidores da Geração Z preferem a experiência de comprar em lojas físicas. Uma das principais razões é a saúde mental, uma forma de se desconectar das mídias e do mundo digital. Além disso, 73% preferem descobrir novos produtos nas lojas.

Essas são apenas algumas das características da Geração Z. É importante sempre lembrar que pode haver divergências mesmo dentro do mesmo grupo, como frisamos no tópico 7 (Geração Eu x Geração Nós).

Se você quer conhecer um pouco mais das gerações anteriores e/ou a Geração Alpha (nascidos a partir de 2010), clique aqui e confira!

2 comments

Deixe uma resposta para Geração Z: os irmãos engajados dos Millennials - Blog Insperiência Cancelar resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *